quinta-feira, agosto 09, 2007

HQs SUPERtextuais - afinal, este post é gigante...

Eu sempre digo que um dia quero escrever aqui sobre HQs hipertextuais, mas nunca o faço. Bem, hoje vou tocar no assunto.

Semana passada, saiu no Universo HQ a notícia sobre uma experiência coletiva de quadrinhos na internet, o HQ8. Trata-se de um blog criado por seis amigos (já já explico porque o nome é HQ8) que, em uma noitada de cerveja, tiveram a brilhante idéia de fazer juntos uma história em quadrinhos, com roteiro sendo criado ao acaso: um faz um pedaço, daí o outro vai lá e continua a partir do que o outro criou, e então vai um terceiro e...

Bem, vejá lá como é a experiência. Aliás, é praticamente a confirmação de que as melhores idéias vêm em noites regadas a amigos e cerveja.

***

Já viu o HQ8? Então, continuemos!

Pois bem, troquei e-mails com o Mateus Santolouco e o Carlos Ferreira. O primeiro me apresentou a turma toda, que eu reproduzo com as palavras dele mesmo:

André Coelho: trabalha com o PopArt Comics Studio e atualmente está produzindo a hq "Zein" para AK comics e trabalhou na antologia "Cthulhu Tales" para Boom! Studios.

Carlos Ferreira (que posta como "Arquiteto das Sombras"): diretor de projetos especiais da RBS [afiliada gaúcha da Globo] e já dirigiu diversos curtas e documentários para a mesma além de um episódio para o programa "Linha Direta" da rede Globo. Carlos já ganhou prêmios no salão de imprensa de Porto Alegre onde escreveu o roteiro de hqs vencedoras e publicou varias hqs independentes.

Eduardo Medeiros: ilustrador e trabalha com animação. Participou da produção do longa "Wood & Stock - Sexo, Orégano e Rock'n'Roll" e atualmente está trabalhando no longa metragem de animação "Tangos e tragédias- fuga em ré para Kraunus e Pletskaya".

Marco Rudy: natural de Moçambique, publicou na mini-série sucesso de vendas "After the Cape" da Image Comics e atualmente está integrando a equipe do PopArt Comics Studio.

Mateus Santolouco: trabalhou por muito tempo com ilustração, animação e criação de personagens para o mercado publicitário e agora, no PopArt Studio, é o artista da mini-série "2Guns" da Boom! Studios e publicou uma história autoral no segundo volume da antologia "24Seven" da Image Comics.

Rafael Albuquerque: dirige o PopArt Studio e já publicou em diversos títulos na industria americana de quadrinhos. Entre eles: Savage Brothers, Jeremiah Harm e Pirate Tales (todos da Boom!), 24seven vol.2 (Image Comics) e Fear Agent (Dark Horse). Atualmente ele é o desenhista regular da série "Blue Beetle" (Besouro Azul) da DC comics e está para lançar o encadernado do seu projeto autoral "Crimeland" pela Image Comics.

Tudo profissionais de gabarito, não?

O Mateus me explicou ainda que há uma regra nas postagens, de modo a manter a periodicidade. Também contou que escolheram o nome HQ8 por motivos aleatórios, ou pela ausência de motivos, ou mesmo por motivos alcoólicos. Enfim, a proposta tinha de ter um nome.

Todo a turma é de Porto Alegre, onde também eu estou alojado.

Bem, o Mateus apresentou os seis compontentes do HQ8 um a um, e o Carlos me explicou o espírito do grupo, como um todo: "a idéia de Mateus, Rafael, Marco, Edu, Coelho e eu nos reunirmos para produzir um projeto foi quase casual, somos todos amigos e produzimos quadrinhos. Uns já estão no mercado editorial norte-americano (Mateus, Coelho e Rafael), outros buscam caminhos mais autorais ou alternativos fugindo um pouco da idéia dos super-heróis e buscando um caminho explorado pelos autores clássicos como Pratt, Breccia, M. Prado, Muñoz, Mattotti e outros. Se bem... eu posso acabar me contradizendo agora e declarar que estamos todos em uma fase de nos conhecer um pouco mais e entender as buscas artísticas pessoais. Acho que o HQ8 proporciona isso, pois não é só uma experiência gráfica, é também textual e narrativa."

E ainda: "Fizemos o HQ8 como necessidade autoral de publicar um projeto onde pudéssemos fazer o que estivéssemos afim no momento, mas sem esquecer da narrativa clássica. Viemos todos com visões diversas, é quase uma banda de rock, uma banda deseñé de rock, às vezes fico impressionado de funcionar tão bem, por que somos bem diferentes. Eu, por exemplo, venho mais com referências da literatura como Borges, e o cinema que sigo aqui como escola John Carpenter ( 'Enigma de um outro Mundo' e 'A beira da loucura' são as minhas mirações enquanto crio no HQ8), muito das historietas de Osterheld e Breccia fazem parte do meu imaginário como um guia criativo. Da tv deixo um pouco de Lost ali. Mas minha visão sobre o HQ8, principalmete devido há algo que acontece sobre o nosso país agora, começa a mudar radicalmente e penso em trazer algo de novo. Algo que eu não sei se os meus sócios vão concordar, mas a proposta de produção sempre foi essa, de improvisar depois do último post.
Quem criou o HQ8 e o seu conceito foi o Mateus. Eu o considero o editor, ou diretor de arte. Começamos postando diariamente, mas devido a complexidade desse evento criativo estamos postando quando algo realmente extraordinário surge e urge das nossas medíocres mentes de nerds.
"

É isso. Acho importante dar espaço para os autores falarem. Veja como o blog já não é mais a mesma coisa depois de termos acesso a todas essas referências...

***

Este deve ser um dos posts mais gigantes da internet, na categoria ausência de imagens. Em todo caso, ainda vale lincar aqui o trabalho "Histórias em quadrinhos na internet: linguagem híbrida em gestação", do Edgar Franco. Isso ameniza um pouco a minha vontade de falar de quadrinhos hipertextuais.

***

Eu adoro hipertexto, não é à-toa que mantenho este blog. Então, mesmo fugindo à temática do cabruuum, linco aqui uma reportagem sobre literatura eletrônica, de minha própria e humilde autoria. A matéria também foi feita em forma de hipertexto, e a primeira lexia está aqui. A partir dessa, há ainda outras três. E numa dessas há ainda uma outra, sobre o (suposto) fim do livro.

É isso. Não repare no perfil ao lado dos textos, pertence a este humilde blog.

Um comentário:

Chapeuzinho disse...

Bah... curti pacas a HQ8, eu achei q o título fazia referência ao G8, sei lá, algo assim, heheheh Sei q ñ há o "leitor" ideal, assim como ñ o espectador ideal nas artes visuais, mas sempre q possível procuro seguir a "ordem" d apreciação e só fui acabr d ler o teu post depois d ter lido (na ordem correta) a HQ8, eu achava q earm uns piá, e estava d queixo caído com a qualidade gráfica, domínio de desenho e tratamentos e td +. Ao seguir adiate no post vi q os caras são td profissionais d gabarito como tu mesmo disse.
Sempre q venho curto mt teu blog e os post, só me irrito pq quase sempre lembro q ñ termino meus prjetos em HQ e fico puta comigo mesma, hehehe
inté