sexta-feira, abril 28, 2006

Um filete de sangue escorrendo do bolso do seu jeans, com o walkman tocando

Você gosta de ler gibi escutando música? Melhor, escutando rock!? Melhor, rock alternativo?! Melhor ainda, você mora em Santa Maria, Rio Grande do Sul?!

Pois bem, seus problemas não acabaram, eles sempre vão estar aí te incomodando, se não for o de hoje vai ser outro (o que já é muito bom, pois significa que você superou o primeiro e está crescendo). Mas, se serve de consolo, agora pelo menos você tem à sua disposição um produto que atende a todas as suas necessidades: um gibi que fala sobre rock alternativo e que já pode ser encontrado em Santa Maria (dentre outros lugares, claro).

Trata-se da Mosh!, revista de "Quadrinhos Róquenrou", como dizia um dos slogans da revista. Originalmente, era para ser Mosh!, "rock, quadrinhos e escoriações", e por isso você pode ver esse band-aid atrás do nome, na capa. Acontece que uma outra revista se apropriou do slogan, mas a marca permaneceu.


[só pra esclarecer: o tamanho original da revista não é muito maior do que o que você está enxergando na tela do monitor. É uma revista de bolso! E custa só 3 pilas!!!]


E o que quer dizer "mosh"? Renato Lima, um dos co-editores da revista, disse pro Cabruuum!!!!!! que "o nome veio de uma lista de mais de 100... queríamos um nome em português mas acabamos adotando esse, que resume muita coisa (atitude, rock, sonoridade) numa palvara curta e que não tem tradução em português (todo mundo fala 'fulano deu um mosh' etc)".

Fuçando por aí, descobri que "dar um mosh" é subir no palco e se jogar na platéia. Bacana, né. Bem atitude, rock, sonoridade. Eheheheh.

Agora, tem coisas que você não pode ficar sem saber sobre a Mosh!. Não pode sair deste blog, por exemplo, sem saber que a revista surgiu no fim de 2003 (e desde essa época vem merecendo uma série de reportagens em sites, jornais e revistas, não necessariamente especializadas), é publicada bimensalmente no Rio de Janeiro, é famossíssima (tanto na orla carioca quanto na orla quadrinística de todo o país) e ganhou dois HQ Mix (o grande prêmio dos quadrinhos) no ano passado. Não pode sair daqui sem entender que a revista publica uma porção de "HQ-contos" (expressão minha, não sabia outro jeito de definir, você vai ter que ler pra entender), entrevista uma ou duas bandas de rock do cenário alternativo por edição e realiza um festival de bandas, o SuperMosh!Fest, em cada lançamento.

[eis uma página da Mosh!, mais especificamente a página da personagem "Menina Infinito", de Fábio Lyra. Essa, aliás, é uma história que parodia a obra "O Senhor dos Anéis", do Tolkien]

Isso você tinha que ficar sabendo por aqui. O resto, pode saber ou acolá.

Mas calma, calma, pra que a pressa?! Você ainda não está liberado. Antes de ir fuçar no site da Mosh! e de ir na Cesma comprar o seu exemplar (no caso de ser santamariense e, ao mesmo tempo, sócio da instituição), ou mesmo antes de olhar o fotolog da Mosh! pra saber quem é quem (roteiristas, autores, editores...), você precisa... ahn, você precisa... você prec...

Ah, esqueci! Pronto, a aula acabou, fique à vontade para cutucar nos links aí em cima! Até mais!

2 comentários:

Cyrana Matzenbacher disse...

eeeeeeeeeeeeeeeeee
MOSH! eh foda!
meus amigos queridos do coração que eu amo tanto.
eles merecem! eles podem. eles sao demais!!!!
e agora tem em sm. q legal!
espero q o pessoal goste, pq no rio, isso eh febre! :)
bjoooooo

Elisa disse...

oi! sou a fã número 1 da mosh! em são paulo! parabéns pela matéria, augusto ;-D