sábado, dezembro 03, 2005

Segunda-feira passada fui na CESMA

A CESMA é a Cooperativa dos Estudantes de Santa Maria. Sede nova, livraria com material novo (um colega avisou que tinha bastantes HQs) e uma surpresa...

Abre parênteses:

claro, surpresa bem menor que ver o comment do André Dahmer (autor da tira Malvados) neste blog ontem, seguido de recomendações no blog dele. Aliás, aproveito para agradecer publica e virtualmente pelas palavras de incentivo. Aumenta a responsabilidade...

Fecha parênteses!

Bem, fui lá na CESMA e, enquanto um amigo folheava com um sorrisinho maroto umas revistinhas de hentai (aqueles gibis pornôs), procurei obras sérias, teorizantes, analíticas - deixa-eu-dar-uma-olhadinha-nesse-desenho-de-mulher-pelada-também - e fundamentadas de histórias em quadrinhos. Afinal, eu me formo em jornalismo na UFSM ano que vem, e minha monografia será sobre jornalismo em quadrinhos, mais especificamente sobre estratégias de produção de sentido em jornalismo em quadrinhos. Mas falo disso outra hora.

Voltando à CESMA. Nas minhas olhadas, encontrei dois exemplares do Quadrinhos e Arte Seqüencial, do Will Eisner, obra de referência sobre HQs. Bem, e qual é a surpresa?! Ora, acontece que até onde eu sabia a edição estava esgotada. Um outro amigo, do Maranhão (o Trompetista Gago da lista de links aí do lado), tinha até ficado de me emprestar o exemplar dele. Realmente, eu não esperava.

Toda essa introdu-enrolação foi pra dizer que vou comprar o livro do Eisner pra fazer companhia na estante ao que já tenho dele, Narrativas Gráficas. Os dois, mais o Desvendando os Quadrinhos e o Reiventando os Quadrinhos, do Scott McCloud, são bibliografia básica de qualquer trabalho na área. Sim, tem também o Álvaro de Moya, Moacy Cirne, Umberto Eco... mas experimente escrever sobre HQs e não ler os livros do Eisner e do McCloud! Os outros, ainda vai!


[os quatro livros que falei juntinhos, arrumadinhos, faceiros, que nem a criançada de mão dada na fila no jardim de infância]


Daí que, dia desses, googleando, achei o site do Scott McCloud. Estou recém no segundo semestre de inglês, então não estou apto a discorrer e discorrer e discorrer sobre ele. Mas você pode ir lá e pesquisar por conta própria. Tem bastante coisa pra ser vista.

Pra mim, a grande surpresa foi encontrar a foto do Scott e do Frank Miller juntos (este último é o quadrinista que fez o Batman, Cavaleiro das Trevas). Por que a surpresa? Bem, porque eu ainda tinha dúvidas se o McCloud tinha se inspirado em si mesmo (frase estranha....) pra compor a personagem que teoriza sobre quadrinhos no seu livro. E agora vi que...

Não vou dizer. Pedagogicamente, não vou dizer. Quero que você vá lá e navegue. Até mando o link pro site de novo, desta vez dando direto na foto que falei. Lá vai: http://www.scottmccloud.com/home/news/news.html. Agora é com você!

3 comentários:

Os Inúteros disse...

Como cartunista e estudande de design, me sinto obrigado a visitar este blog periodicamente. E espero que mantenha ele por muito tempo.

Anônimo disse...

ótimo o seu blog. também sou fã dos malvados (talvez não tanto quanto você). já havia notado algumas das características das tirinhas comentadas aqui. engraçado que, quando tomei conhecimento desses quadrinhos, não sabia que as personagens eram girassóis e que aquele buraquinho no meio do rosto (miolo??) deles seria as bocas, ahaha. gostaria de entender porque ele modificou as pétalas também, uma evolução no anti-estilo?

Diogo disse...

Cara, vi seu post sobre a questão da mensagem subliminar. Recomendo ler este artigo:

http://www.projetoockham.org/pseudo_subliminar_1.html

É o melhor que já li sobre o assunto. Analisa de forma séria e cientifica a situação. Como a história do "Beba Coca" que não passa de uma balela.